Países devem limitar financiamento público a projetos de combustíveis fósseis

04/11/2021 – Estados Unidos, Reino Unido e outros 18 países devem assinar uma declaração conjunta para pôr fim ao financiamento dos bancos públicos de desenvolvimento a projetos estrangeiros de exploração de petróleo, gás e carvão até o fim do próximo ano. A intenção é priorizar o financiamento de iniciativas de geração de energias limpas.

A declaração deve ser divulgada nesta quinta-feira (4), durante a COP26, em Glasgow, na Escócia, de acordo com fontes próximas às negociações – ainda em andamento – citadas pela agência Bloomberg.

O documento tem uma página e, se confirmado, será uma dura ação contra o fluxo de dinheiro dos bancos públicos de desenvolvimento para projetos de combustíveis fósseis.

Estima-se que, com isso, US$ 8 bilhões deixariam de financiar projetos poluentes e poderiam ser destinados para iniciativas de geração de energia limpa, de acordo com uma fonte anônima citada pela agência.

Japão, Coreia do Sul e China, alguns dos maiores financiadores de projetos de combustíveis fósseis no mundo, não devem assinar o acordo.

Além de Estados Unidos e Reino Unido, a declaração para “alinhar as finanças públicas internacionais com a transição para energia limpa” deve ser assinada por Canadá e Dinamarca, que divulgaram um plano semelhante nesta quarta-feira (3).

A declaração não é vinculativa e ainda permite algum financiamento para empreendimentos de petróleo, gás e carvão em casos específicos que considerem a meta de limitar o aquecimento global em 1,5C.

Embora muitos países já tenham avançado em ações desse tipo, essa declaração forçaria ações para o bloqueio do financiamento de bancos de desenvolvimento regionais para projetos de combustíveis fósseis.

Fonte: Valor Econômico*
Extraído do site: Fecombustiveis