Petrobras aumenta diesel em 2,52% após fim do programa de subvenção

02/01/2019 – A Petrobras anunciou hoje uma alta de 2,52% no preço médio do diesel comercializado nas refinarias a partir de amanhã. Segundo a empresa, essa alta se deve ao fim do programa de subvenção do diesel instituído pela União.

Com a alta de hoje, o preço médio do litro do combustível passará de R$ 1,8088 para R$ 1,8545.

Segundo a empresa, o novo preço é inferior em 11,75% ao de 31 de maio de 2018, de R$ 2,1016, o último antes do início do programa governamental de subsídio. “Esta alteração é consequência da variação do câmbio e do preço internacional do diesel no período”, diz a nota divulgada pela estatal.

A empresa acrescenta que este preço médio do diesel informado hoje também é R$ 0,1771 menor, representando redução de 8,7%, em relação ao primeiro valor estabelecido no âmbito da subvenção, que foi de R$ 2,0316, praticado em 1º de junho de 2018.

Além disso, com o ajuste anunciado hoje (31), há uma queda de 2,1% em 12 meses no preço médio do diesel comercializado pela Petrobras.

O programa de subvenção ao diesel havia sido criado pelo governo após a greve dos caminhoneiros, no fim de maio. Uma das principais reivindicações da categoria era redução no preço do combustível.

De acordo com a empresa, o valor que a Petrobras cobra em suas refinarias considera as cotações internacionais do combustível e do câmbio, entre outros fatores. A petroleira ressalta ainda que esse preço representa cerca de metade do valor do diesel vendido nos postos, já que, no preço final ao consumidor, são adicionados os tributos, o custo do biodiesel e as margens de distribuidoras e revendedores.

A Petrobras não anunciou reajustes para a gasolina, cujo valor médio do litro vendido nas refinarias se mantém em R$ 1,5087 desde o dia 28.

A Petrobras adota novo formato na política de ajuste de preços desde 3 de julho de 2017. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior periodicidade, inclusive diariamente.

Em março de 2018, a empresa mudou sua forma de reajustes, e passou a divulgar preços do litro da gasolina e do diesel vendidos pela companhia nas refinarias — e não mais os percentuais de reajuste.

Desde o início da nova metodologia, o preço da gasolina comercializada nas refinarias acumula alta de 15,03% e o do diesel, valorização de 36,78%.

Fonte: Valor Econômico