Brasil está no início do ciclo virtuoso da indústria de petróleo e gás

29/12/2021 – A Petrobras participou, este mês, do leilão da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) no qual adquiriu os direitos de exploração e produção dos volumes excedentes aos da cessão onerosa nos Campos de Atapu e de Sépia, no pré-sal da Bacia de Santos. A companhia atuará, nessas duas áreas, em parceria com outras empresas e vai desembolsar R$ 4,2 bilhões pelo bônus de assinatura

Este passo consolida a posição de liderança da Petrobras no pré-sal brasileiro, onde atua há mais de dez anos de forma eficiente e competitiva.

Entre 2010 e 2020, a Petrobras investiu mais de US$ 100 bilhões somente na aquisição e exploração de áreas. Neste período, incorporamos 7,6 bilhões de barris de óleo equivalente em reservas provadas (critério SEC – US Securities and Exchange Commission). São volumes incorporados majoritariamente em campos de águas profundas e ultraprofundas no Brasil.

A aquisição de novas áreas exploratórias é apenas o início de um ciclo virtuoso de investimentos, com ganhos relevantes para o País, traduzidos tanto na geração de impostos e empregos como no desenvolvimento da cadeia de fornecedores.

Devemos lembrar que desenvolver essas reservas e transformá-las em recursos para a sociedade leva, em média, de cinco a dez anos e requer um significativo volume de investimentos em perfuração de poços, construção de plataformas e sistemas submarinos, entre outros.

Só nos últimos dez anos, a Petrobras investiu mais de US$ 150 bilhões no desenvolvimento da produção. E, nos próximos cinco anos, vai investir mais US$ 57 bilhões nas atividades de exploração e produção de petróleo e gás, conforme divulgado no nosso Plano Estratégico 22-26.

Após os investimentos na exploração e no desenvolvimento de nossos ativos, como os de Sépia e Atapu, licitados no último leilão, será possível iniciar a produção dos campos, suprindo o mercado de óleo e gás.

Com o aumento da produção, ampliamos, também, o pagamento de tributos. Para ter uma ideia, só nos últimos três anos a Petrobras pagou mais de meio trilhão de reais em tributos e participações governamentais.

Devemos lembrar, ainda, que a transição energética determina novos desafios para a atividade de exploração e produção de petróleo no Brasil e no mundo, incluindo a urgência em aproveitar esses recursos numa janela de tempo limitada.

Para lidar com esses desafios, são necessários elevados investimentos, um corpo técnico cada vez mais qualificado, ousadia temperada na prudência, acompanhamento constante e melhoria contínua.

Para garantir a renovação constante deste ciclo virtuoso, seguimos trabalhando para uma Petrobras eficiente e competitiva, que nos possibilite continuar reinvestindo em novas aquisições, abrindo novas fronteiras exploratórias e recompondo as reservas produzidas. O avanço na exploração e na produção de petróleo no Brasil aponta para um futuro cada vez mais promissor.

Fonte : O estado de São Paulo*

*Extraído do site : Minaspetro