Preço médio do diesel atinge maior nível do ano nos postos do Brasil, diz Ticket Log

16/07/2021 – O preço médio do diesel comum nos postos de combustíveis do Brasil avançou 0,96% na primeira quinzena de julho, em comparação com o fechamento do mês anterior, e atingiu o mais alto patamar do ano, informou a Ticket Log nesta quinta-feira.

Segundo o índice de preços da companhia, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil, o valor médio do combustível mais consumido do país alcançou 4,775 reais por litro nas primeiras semanas deste mês.

O diesel S-10, que possui menor teor de enxofre, acompanhou o movimento e subiu 1,0% em relação ao final de junho, para 4,831 reais por litro, também o maior valor médio do ano.

O levantamento da Ticket Log tem como base abastecimentos realizados por 1 milhão de veículos administrados pela marca em 21 mil postos credenciados.

É possível alterar o preço na bomba de combustível?

“Tanto o diesel comum quanto o diesel S-10 registraram aumentos nos preços em todas as regiões do país neste início de segundo semestre”, disse em nota o head de Mercado Urbano da Edenred Brasil, Douglas Pina.

O preço mais alto para ambos os tipos de diesel foi verificado na região Norte, enquanto o Sul possui o valor médio mais baixo.

Já o aumento mais significativo do diesel comum no período ocorreu no Nordeste (+1,1%), enquanto o S-10 apurou sua maior alta no Sudeste (+1,27%).

“Para o motorista de um caminhão cujo tanque comporta 200 litros de combustível, enchê-lo com o tipo comum está 9,00 reais mais caro do que estava no mês anterior”, destacou Pina, considerando a média nacional de preços.

Embora também dependa de impostos, margens de distribuição e revenda, e misturas de biocombustíveis, a alta no valor do diesel para o consumidor final ocorre pouco depois de a Petrobras (PETR4) ter elevado o preço médio do produto em suas refinarias em 3,7%, no primeiro reajuste para cima desde que Joaquim Silva e Luna assumiu o cargo de presidente da empresa.

Fonte: Reuters

Autor/Veículo: Money Times*
*Extraído do site Fecombustíveis