Estoque de etanol cresce no país, mas demanda evita excesso de oferta, diz FCStone

Os estoques de etanol do Brasil estavam 29 por cento maiores em 1º de outubro, com cerca de 11 bilhões de litros, na comparação com o mesmo período do ano passado, diante de uma forte produção no centro-sul, disse nesta quarta-feira o analista João Paulo Botelho, da INTL FCStone, com base em dados do Ministério da Agricultura.

Mas uma firme demanda pelo biocombustível, com preços mais competitivos do que a gasolina em boa parte do país, evitará um excesso de oferta.

“Devemos chegar ao final da entressafra (em março) com níveis confortáveis de estoques, mas sem excesso de oferta”, avaliou Botelho, durante evento promovido pela INTL FCStone em São Paulo.

A entressafra de cana, sazonal período de alta nos preços do etanol, geralmente começa em novembro, mas neste ano já há usinas finalizando os trabalhos de campo neste mês, até 30 dias antes do habitual, disse o analista, explicando que isso se deve, em parte, à estiagem no primeiro semestre que prejudicou a produtividade dos canaviais.

Usinas do país impulsionaram a fabricação do biocombustível, em detrimento do açúcar, a partir de meados do ano passado, na esteira de mudanças tributárias e uma nova política de preços de combustíveis pela Petrobras, que colocou a gasolina, concorrente direto do álcool, em níveis recordes tanto nas refinarias quanto nos postos.

Pelos dados mais recentes da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), que representa as usinas do centro-sul, principal região produtora do país, a produção de etanol na região foi 25 por cento maior no acumulado da safra 2018/19 até setembro, com pouco mais de 24 bilhões de litros.

Assim, diante dessa maior oferta, os estoques de etanol estavam no início do mês mais de 2,4 bilhões de litros acima do visto há um ano, “o que leva à necessidade de forte demanda”, disse Botelho.

Para o analista, o consumo do biocombustível, que tem se mostrado forte nos últimos meses, tende a continuar firme na entressafra de cana, já a partir deste mês, em razão dos preços da gasolina ainda em patamares elevados.

Fonte: Reuters*

*Extraída do site UDOP